Há algum tempo, os elevadores residenciais eram vistos como um artigo de luxo, já que eram caros e pouco acessíveis. Mas, com o surgimento de novas tecnologias e o envelhecimento da população, este é um mercado que tem estado cada vez mais aquecido, fazendo com que muitas pessoas busquem instalar elevadores em suas casas.

Porém, para que o equipamento apresente segurança e uma boa vida útil é essencial prestar atenção à alguns cuidados básicos. E é sobre eles que falaremos neste artigo. Continue a leitura.

1- Atenção com o espaço onde o elevador será instalado

Na fase de projetos e de obras é primordial que você tome alguns cuidados básicos, evitando problemas posteriores que podem colocar em risco a utilização do elevador. O tamanho do espaço necessário para a instalação dependerá muito da tecnologia do equipamento e também do modelo escolhido, por isso é sempre importante verificar essas informações com o fabricante antes de começar a obra.

Se isso não for feito, pode ser que você tenha de fazer alterações estruturais na sua obra, encarecendo o seu projeto e, algumas vezes, não garantindo segurança para a instalação do equipamento. Em geral, os elevadores para acessibilidade contam com modelos com metragens a partir de 1,4m x 1,4m. Mas, você também precisa considerar o espaço abaixo do elevador e para a casa de máquinas (caso ela esteja presente).

Outro ponto essencial é garantir que os elevadores residenciais sejam instalados em um ponto de fácil acesso dentro da sua casa e que facilite entrar e sair do equipamento, dando preferência à instalação em uma área comum, com boa circulação e que mantenha a privacidade de quartos e salas íntimas.

2- Saiba as diferenças entre os tipos de elevadores residenciais

Engana-se quem pensa que os elevadores residenciais são todos iguais. Na verdade, existem modelos e tecnologias bem distintas no mercado e para garantir um bom projeto é primordial que você saiba as diferenças entre cada um deles, encontrando aquele que seja mais adequado as suas necessidades. Os mais comuns são:

  • Hidráulicos: foram os mais usados durante muitos anos, já que eram os únicos que permitiam reduzir o espaço destinado à casa de máquinas e também eram os únicos que contavam com o recurso de resgate, no caso de quedas de energia. Porém, com o tempo, outras tecnologias surgiram e estes modelos começaram a cair em desuso. Ainda existem arquitetos e engenheiros que apostam no uso destes equipamentos, principalmente nos modelos panorâmicos;
  • À vácuo: são as opções mais modernas e começaram a ser comercializados no final da década de 90. Este elevador utiliza a sucção do ar para criar uma diferença de pressão e fazer o equipamento subir, já a descida é feita normalmente pela força de gravidade. A vantagem é que a própria câmara de vácuo já funciona como uma caixa de corrida, além da instalação ser mais rápida que nos demais modelos. Porém, eles apresentam capacidades e tamanhos reduzidos;
  • Elétricos: hoje muitos destes equipamentos residenciais não mais necessitam da presença da casa de máquinas, o que torna a instalação bem mais prática e adaptável a vários projetos. Além disso, o uso de inversores de frequência deu a estes elevadores mais suavidade na viagem e precisão de paragem. Outras vantagens são: o baixo consumo de energia elétrica e o uso de fluido ecológico.

3- Atenção em relação ao uso do elevador

Manter a segurança e a vida útil do elevador depende, em muito, da forma como as pessoas usam o equipamento. Algumas medidas são extremamente importantes, como:

  • não apertar o botão de chamada várias vezes;
  • sempre verificar se o elevador se encontra realmente parado no piso antes de entrar;
  • não acelerar o fechamento da porta;
  • não manter a porta aberta mais tempo que o necessário;
  • não bloquear o fechamento da porta com objetos;
  • não acionar o botão de alarme desnecessariamente;
  • não deixar as crianças brincarem no elevador;
  • não ultrapassar o limite máximo de carga permitido para o elevador;
  • não permitir pulos ou movimentos bruscos dentro do elevador;
  • respeitar o limite de usuários;
  • não fumar dentro do elevador;
  • se o elevador estiver travado, não forçar a abertura da porta;
  • evitar lavar pisos ou paredes em locais próximos ao elevador, já que a infiltração de água pode prejudicar o funcionamento do equipamento.

4- Realize as manutenções no tempo estipulado

Muitas pessoas na hora de calcularem os valores com os elevadores apenas pensam nos custos com a aquisição e a instalação do equipamento e acabam se esquecendo de que estes itens devem passar por manutenções periódicas.

Estas manutenções são extremamente importantes e garantem que a degradação dos equipamentos e das instalações causadas pelo desgaste natural e pelo uso não colocarão em risco a segurança dos usuários, com a troca e o reparo dos itens avariados.

O seu plano de manutenção pode ser de 3 tipos:

  • manutenção corretiva: efetuada após a ocorrência de uma pane e é destinada a recolocar o aparelho para funcionar novamente;
  • manutenção preventiva: é efetuada em intervalos pré-determinados ou de acordo com critérios pré-estabelecidos e é destinada a reduzir as probabilidades de falhas ou a degradação do funcionamento de determinado item;
  • manutenção preditiva: permite garantir mais qualidade de serviço, com base na aplicação sistemática de técnicas de análise, reduzindo o número de manutenções preventivas e corretivas.

5- Combine os serviços de manutenção com os de inspeção

Para garantir ainda mais segurança e durabilidade ao seu elevador residencial, é muito importante que o serviço de manutenção seja combinado com o de inspeção. Assim, você terá a certeza de que as manutenções estão seguindo determinados padrões e evitando que problemas pequenos sejam desconsiderados e se tornem graves com o passar do tempo.

A inspeção do elevador sempre deverá ser feita pela própria equipe de manutenção e é essencial que lhe seja oferecido um relatório de todos os itens analisados, atestando que o seu equipamento está funcionando em perfeito estado e indicando as trocas e reparos que foram feitos.

6- Sempre procure por empresas responsáveis

Tanto na hora de comprar o seu elevador residencial, como de encontrar um plano de manutenção e de inspeção adequados é primordial que você considere a empresa em questão que está contratando. Analise qual o tempo de mercado ela possui, a experiência e expertise dos seus times, a disponibilidade de peças para reparos, a presença de um ou mais engenheiros responsáveis e também a opinião de outros clientes.

Uma empresa séria e responsável é um dos passos mais importantes para garantir que o seu elevador residencial terá uma alta durabilidade e ainda oferecerá segurança e comodidade a todos os moradores e visitantes da sua casa.

Gostou das nossas dicas de cuidados para os elevadores residenciais? Quer saber mais sobre este tema? Então baixe o nosso e-book e aprenda como encontrar o modelo certo para a sua casa!

[avs_toc]

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *